quinta-feira, 10 de dezembro de 2015

O Ano da Graça do Senhor!

Posted by Edson Silva On 06:27


Mais uma vez o Papa Francisco responde aos sinais dos tempos convidando todos os cristãos, homens e mulheres de boa vontade, para um ano santo extraordinário tendo como mensagem central a misericórdia.

O mundo e a Igreja precisam muito desta misericórdia que vem do alto e brota no coração de cada pessoa. Tradicionalmente os jubileus são momentos oportunos para se perdoar e nos perdoarmos uns aos outros.

A passagem do terceiro milênio, celebrado por todos nós há 15 anos, apresentava um decálogo em favor da vida por meio de liberdades civis, direitos sociais e econômicos. Muito se fala na Porta Santa em Roma, fala-se nas muitas portas santas em Catedrais espalhadas pelo mundo. Mas, de todas as portas, a mais impactante e simbólica foi a inaugurada no “fim do mundo” (África), em um tempo não esperado (antecipado), pelo papa que foi eleito por causa de seu trabalho em outras tantas periferias.

“O Espírito do Senhor está sobre mim, pois ele me consagrou com a unção”

As ousadias do Papa Francisco, inspiradas pelo Espírito vivificador, nos surpreendem a todo instante e nos revelam toques e carícias de Deus na humanidade sofrida. Por isso, podemos afirmar que as verdadeiras portas santas para este jubileu extraordinário estão às margens do óbvio e tradicional.

“para anunciar a Boa Nova aos pobres”


A porta do barraco em uma favela é Porta Santa para crianças, mulheres, homens, idosos, famílias que se constituem de formas diversas. Tamanha insegurança e abandono para aqueles que não encontram condições de moradia. Não se habita, não há saneamento, não há condições mínimas de vida.

“enviou-me para proclamar a libertação aos presos”

A porta da cela de uma prisão é Porta Santa para aqueles que entram, para os que saem, para os que permanecem. Tamanha dor e sofrimento vivem homens e mulheres encarcerados num sistema prisional que não liberta, não dignifica, não promove, não justifica e não reintegra.

“aos cegos, a recuperação da vista”

A porta da sala de aula na escola é Porta Santa para todos aqueles que buscam conhecer, promover o conhecimento e desenvolver a pessoa de forma integral. Tamanho descaso e ignorância num sistema educacional que não forma, não educa e não promove sabedoria.

“para dar liberdade aos oprimidos”

A porta da emergência no hospital é Porta Santa para todos aqueles que na emergência buscam a saúde, o alívio para dor, a cura para a enfermidade. Tamanha desconsideração e sucateamento. Não há atendimento suficiente, não há profissionais valorizados, não há infraestrutura suficiente, não há gestão pública.

“e proclamar um ano de graça da parte do Senhor.” (Lc 4, 18-19)

São tantas as portas neste Jubileu Extraordinário da Misericórdia que nos ajudarão a converter as mentes e os corações! Propiciarão a mudança de comportamentos, palavras e atitudes. Portas que abriremos a todos que precisarem.

Novamente começamos um tempo de graça, de perdão e de conciliação para que a Vida floresça com mais força. Serão a paz e a justiça frutos da misericórdia de Deus.

Edson G. P. O. Silva

Presidente do Conselho de Leigos da Arquidiocese de São Paulo – CLASP

Comente com o Facebook: